23 de julho de 2016

É BEM DOCE, MEU JESUS, MORRER POR VÓS !

Amar-Vos ou morrer !


De repente, senti-me cair de joelhos, de mãos postas, olhos no alto invoquei o nome de Jesus e da Mãezinha. Gritei, gritei do íntimo da minha alma. O meu brado não subia acima, escondia-se por entre os rochedos da montanha, ensopava-se no meu sangue e nas minhas carnes retalhadas pelos espinhos para ali morrer comigo. A agonia da alma aumentou, já não podia bradar. Sem sentir nenhum auxílio, com a aflição o coração bateu com tanta força parecendo-me ir perder a vida. Oh ! É bem doce, meu Jesus, morrer por Vós ! Ou amar-Vos ou morrer. Sofrer, sofre para Vos dar almas ! O divino Espírito Santo, nas horas mais aflitivas bate as suas asas brancas e grandes como as de uma águia fazendo-me sentir uma aragem suavíssima e animadora. Com o bico grande introduze-lo no meu coração como para o retocar e fortificar. Num destes momentos segredou-me Jesus muito do íntimo:

— Estou aqui, minha filha, no paraíso do teu coração, no ninho das minhas delícias. Sofre contente, que é para Mim. (S. 14-11-1944)

Sem comentários: