22 de julho de 2016

SE ALGUMAS ALMAS SALVEI...

Um Deus a agradecer à mais miserável criatura...


― Que vergonha, meu Jesus ! Se eu pudesse esconder-me de Vós! Que grande humilhação! Um Deus a agradecer à mais pobre e miserável das suas criaturas! O que sou eu sem Vós? Se algumas almas salvei, foi com aquilo que é vosso.
— É verdade, minha filha, mas, se não fosse a tua correspondência e fidelidade às minhas graças, não as podia salvar, apesar de ser omnipotente. Foram salvas pela tua dor. Tem coragem! Continua a tua missão um pouco mais na terra, e, depois no Céu.
Eu sentia o meu coração a arder como já há muito não tinha sentido. Jesus disse-me:

— Este fogo que tu sentes, é o fogo do Meu amor, todo o amor do Meu divino Coração. Não é para continuares a senti-lo: é a minha medicina divina, medicina que dou ao teu coração e à tua alma para teres força e coragem, ao receber dos espinhos, e para continuares ao cimo do calvário tão grande cruz. Está perto o meu fim. Vai ditar as palavrinhas do teu Jesus. Recebe toda à luz do Espirito Santo e a minha força divina. Mas com tudo isto não te esqueças de Me ofereceres o teu sacrifício: quero-o para as almas. Coragem sempre, vai em paz. (S. 04-01-1946)

Sem comentários: