29 de julho de 2011

VEM A MIM DESCANCAR

Logo que sejam celebradas 3 missas pela sua alma, sobe ao Céu.


Não saí do mergulho da minha dor nem de mim se apartaram as ânsias de dar tudo e obrigar toda a humanidade a viver num poço, que tenho em mim. Nesta ansiedade, mergulhada só em dor, ferida de alma e coração, preparava-me para receber Jesus, e aproximava-se a hora da Sua chegada.
Minutos antes, recebi a notícia de que um homem, que há três dias me tinha sido recomendado, tinha morrido sem os Sacramentos. Foi um espinho que me feriu profundamente, mas, não sei porquê, não me inquietou a perda da sua alma; fiquei em paz. Veio Jesus. Momentos depois de entrar no meu coração disse-me:
― Minha filha, Minha filha, a alma desfalecida e ferida pelos espinhos sente-se bem, tem conforto, anima-se com o seu esposo. Vem a Mim descansar; sou o teu Esposo Jesus.
Nosso Senhor inclinou-me sobre Ele; fiquei com a minha cabeça unida ao Seu divino Coração e como que a descansar em Seus braços.
— Recebe, Minha filha, a Minha vida para a tua vida, o Meu conforto para a tua luta, para a tua dor. Sofre contente; como são valiosos os teus sofrimentos unidos aos Meus; quanto podes com O teu Jesus! Não sofras, Minha filha, com o golpe que acabaste de receber; a sua alma foi salva. Fiz isto para exemplo dos outros. Momentos antes de lhe pedir contas, apresentei-Me em sua presença, ao ver-Me, muito confundida, exclamou: não Vos aproximeis de mim, meu Senhor, com tanta pressa; não estou digno de aparecer diante de Vós. Perdoai-me, perdoai-me, Senhor, as minhas culpas. Nada mais foi preciso; salvou-se. Foste vítima dele, nestes dias. Não te sentias tu incapaz de aparecer diante de Mim e para isso parecia-te voar o tempo? Foste vítima. Salvou-se, mas sem merecimento, sem virtudes. Será uma alma a gozar-Me no Céu à custa da tua dor. Mas terá muito, muito, que sofrer no Purgatório. Aqui tens uma das boas novas que te anunciei.
― Meu Jesus, mas eu ainda não sabia nada.
― Sabia Eu, filha querida, tudo o que se ia dar e por tu o não saberes é que tem todo o valor para os homens. A segunda nova, Minha filha, é para dizeres ao teu Paizinho que a alma do Paizinho dele subiu ao Céu, logo após 7 dias da sua morte. Foram 7 dias em honra das 7 dores da Minha Bendita Mãe. Subiu ao Céu, depressa, pelas suas muitas virtudes e merecimentos, e pelos muitos sofrimentos do filho, pela sua vida de grande martírio e pelo amor com que por Mim ele é amado. Está a gozar-Me na Pátria Celeste em grande glória e alegria. Principia já, Minha filha, a um conselho dele porque Eu nunca o retirei de teu guia, a fazer a lista das almas que desejas, logo a seguir à sua morte, subam ao Céu. E assim se vão cumprindo as Minhas Divinas Palavras.
― Queria, meu Jesus, perguntar-Vos por uma alma, mas não pergunto, perdoai-me.
― Fá-lo já, Minha filha, e sem demora. Não tens confiança em Mim?
― Bem sabeis que tenho, meu Jesus; mas não quero abusar da Vossa bondade; mas já que me permitis dizei-me: onde está a alma da minha querida Deolinda?
― No , mas em vésperas de ir gozar na Minha glória. Logo que sejam celebradas 3 missas pela sua alma, sobe ao Céu. Isto é, juntando às missas todas as orações que até esse momento por ela foram feitas. Era boa sofreu muito e está sofrendo o seu descuido. Diz, Minha filha, ao teu médico que eu o coloquei à tua frente, para cuidar de ti e da Minha divina causa e para ser mensageiro das Minhas palavras, em dias de tanta luta. Diz-lhe que não demore, em acordo com quem sabe, a mandar ao seu destino o que com tanto empenho eu pedi. Dá-lhe a Minha bênção e todo o Meu amor para todos os que lhe são queridos. Vem, minha Mãe Santíssima, com os teus carinhos fortalecer, dar a vida à filhinha.
Veio a Mãezinha, tomou-me em Seus braços, abraçou-me docemente, cobriu-me de carícias e disse-me:
― Minha filha, Minha filha, sou tua Mãe e Mãe do teu Jesus; és por mim e por Ele amada com todo o amor. Sofro com alegria, continua a salvar as almas. Toma o meu manto, envolve nele a humanidade, salva-a, é filha de Jesus e é minha. Leva o meu amor, leva o amor de Jesus, dá-o aos cuidam de ti, dá-o aos que te são mais queridos. É o amor de Jesus e de Maria num só amor.
Jesus acrescentou:
― Dá-lhes este nosso amor aos que te são mais queridos; dá-o a todos, dá-o na proporção em que to pedirem. Quando te for pedido com instância e com toda a abundância diz-lhe do coração: dou-to todo, como me pedes. Vai, louquinha, vai, que és a vida das almas sem sentires que lha dás; és toda amor sem saberes que amas, és toda vida sentido que és morte. Coragem, coragem!
― Obrigada, meu Jesus, obrigada Mãezinha. Sede comigo nesta luta tão tormentosa da minha vida. Que horror eu tenho em ter que ditar tudo quanto me disseste. Em teu beijo e abraço, minha cruz, só por amor Àquele que me enviou.
*****
(Alexandrina Maria da Costa: “Sentimentos da alma”, 3 de Maio de 1947 - Primeiro sábado)

Sem comentários: